Render-se nunca, por favor

Começou quando uma aluna me disse que ia desistir.
O segundo, um amigo de muito talento, me disse estar num escritóiro de contabilidade como assistente de compras. Minha colega de classe, Vã, também não quis mais, foi exercer
a publicidade que demorou 4 anos pra aprender na faculdade.
Nunca ninguém disse a vocês, eu posso apostar, que viver de arte - qualquer arte - no Brasil fosse fácil. Se você não está disposto a virar uma Sheila, uma Carla Perez e descer na boquinha da garrafa,
a arte aqui torna-se bem mais complicada que em outros lugares do mundo. Mas isso todos nós estamos esgotados de saber e discutir.
Cansa? Claro que cansa!
É fácil? Óbvio que não.
Vale a pena? Vale. Sem pensar, vale. Vale mil vezes!
Eu tenho reafirmado minha certeza de que vale a pena através de duas pessoas: Gragi, uma querida ex aluna e Joaquim, um amigo com quem, infelizmente perdi o contato há 2 anos.
Dois exemplos de atores que não desistiram.
Outra noite dessas estava na quarto em pé, olhando a TV quando vi um rosto conhecido. Gritei pro meu marido:
“Corre aqui, vem ver isso!”. Tava lá a Gragi, estampada na novela do SBT com um figurino lindo, uma postura impecável e uma interpretação delicada, suave e bastante convincente.Gragi chorou durantes algumas aulas comigo porque queria desistir. Tinha medo de chegar nos 30 anos sem ter nada porque passou a vida inteira tentando ser atriz. Eu lembro que disse pra ela: “Gragi, você tem talento. Vá adiante por mais 2, 3 anos. Se não acontecer sou a primeira a te dizer “procure outra coisa”. Passado um ano encontro com ela na TV. Um deleite pessoal.
Vibrei de alegria por ela. Por nós todos que ainda não desistimos.
Joaquim é outro.
Dedicado, disciplinado, talentoso como poucos. Quando estourar e receber os louros da fama, vocês saberão quem é e possivelmente admirarão muito! Ele pensou em desistir acho que uma única vez na vida. Mas esqueceu de desistir e minha grata surpresa foi revê-lo com um personagem de destaque em “Os ricos também choram” e semanas depois no elenco de apoio de “Belíssima”.
São poucos que conseguem?
Não sei. Não posso falar sobre uma estatística que não faço idéia nem se existe. Mas mesmo que fossem poucos, raros, raríssimos, podíamos ser nós. Poderia ser qualquer um de nós.
Qualquer um disciplinado, talentoso, dedicado e com sede de conhecimento e coisas que compõem a arte.
Qualquer um mesmo, acreditem. Qualquer um que não desistir. Que aguentar o tranco de nem sempre ter trabalho, de nem sempre
ter o bolso cheio, de nem sempre estar com as contas em dia. Estou dizendo isso na certeza que vocês sabem que, até chegar na Globo (citando apenas como referência), poucos atores têm grana.
Então, queria aqui fazer um pacto com os dedicados, disciplinados e talentosos:Não quebrem esta corrente dando razão a quem não acredita no teatro no Brasil. Não se entreguem pro desânimo de nossos últimos minsitros que nada fizeram pra melhorar nossa arte.
Não arreguem para quem acha que no Brasil ou se faz Globo ou não se faz nada.
Afinal, somos ou não brasileiros??
E é exatamente porque a resposta é “sim” que a gente não desiste nunca.
Um beijo para vocês,
Tati
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Deixe seu comentário


Código de segurança
Atualizar