A dualidade do teatro

Conhecidamente por ser uma arte elitista cuja classe de menor poder aquisitivo quase nunca tem acesso, o teatro, curiosamente, é usado em muitas comunidades carentes do país, como um virtuoso instrumento de inclusão cultural e opera verdadeiros milagres.

Sempre se toma conhecimento de alguns casos de jovens que foram resgatados do mundo da criminalidade ao entrarem em contato com o teatro, quase sempre através de oficinas realizadas por alguns abnegados, que raramente contam com algum tipo de ajuda.

Realmente é muito engraçada essa coisa de dualidade quem tem o teatro, ao mesmo tempo, que é capaz de educar e levar cultura a jovens de poucas oportunidades, não é capaz de oferecer-se como uma opção de diversão barata à esse mesmo povo, mesmo sabendo que esse povo não tem lá muito interesse em assisti-lo, nem tão pouco possui o hábito de fazê-lo.

Talvez uma explicação para essa dualidade é que existe uma enorme diferença entre aprender teatro e assistir teatro e talvez isso acabe também contribuindo para que o teatro tenha enormes dificuldades em se tornar uma arte de massa.

Quando uma pessoa toma contato com o teatro e começa a participar das oficinas, não é só a magia que toma conta da sua alma, ela aprende a se entender como ser humano, começa a conhecer e entender seus sentimentos, algo muito mais além do que a interpretação que se dá sobre o palco.

Já quando se tem um espetáculo pronto, não são todas as pessoas que vão assisti-lo que conseguem captar a energia ou até mesmo entendem a profundidade que o ator quer passar, pois essas pessoas não são e nem estão preparadas para verem teatro, e por conseguinte, acabam por não entender ou não gostar de certos espetáculos. Isso faz com que o público não tenha o teatro como um hábito de diversão, a despeito dos preços dos ingressos (isso é assunto para um outro dia).

Por isso que um espetáculo de teatro dificilmente vai conseguir o mesmo efeito que consegue uma oficina de teatro, pois quem é apenas um espectador de teatro e não conhece os seus ensinamentos, vai sempre encará-lo como mais uma diversão e quando essa pessoa é desprovida de recursos e não tem a oportunidade de assistir ao espetáculo de graça, não demonstrará nenhum interesse para com ele, diferentemente de quem conhece o teatro por dentro.

E é essa dualidade que possui o teatro que faz dele "dois teatros" dentro de uma mesma arte, o teatro produto, que é consumido por quem quer se fartar de cultura e tem poder aquisitivo para isso e o outro teatro, aquele que é feito como um instrumento de inclusão e de crescimento à quem se dispõe a fazê-lo, mesmo que seja apenas para seu crescimento como ser humano.

Bem, é isso, para uns o teatro é crescimento, para outros, puro entretenimento. E pode ser que essa sensível diferença, quando  percebida, torne mais fácil o entendimento do porque existem diversas formas de se enxergar o teatro, para uns "é tudo na vida", para outros "nada demais".

Deixe seu comentário


Código de segurança
Atualizar