O Teatro é social

Houve um tempo em que o palco era o único lugar para dar vazão às idéias reprimidas e sufocadas pela censura. Estar no palco era ter a certeza de levar ao público, a voz calada e amordaçada pelo um regime autoritário. É certo que alguns espetáculos eram por demais panfletários e retratavam unicamente pontos de vistas de uma política que hoje em dia não faz sentido. Mas, ao menos, o teatro era a voz que satisfazia os anseios de quem não podia falar.

 

Com o tempo e com a bendita democracia, certos textos perderam força e não houve mais interesse em retratar no palco, histórias que não precisavam de uma voz, pois já eram gritadas em uníssono por toda a população. E o teatro deixou de lado o conteúdo contestador para se derramar em comédias. Acho até justo, depois de anos de agruras e dissabores. Mesmo porque, falar de política não é lá um assunto que dê público, muito embora devesse.

 

Hoje, o teatro, partiu para novos e outros campos, a busca é pela conquista do público, procurando firmar o teatro como uma grande opção de entretenimento, produzindo espetáculos mais leves, que mais diverte do que questiona ou faz pensar. Parece que o Teatro perdeu o interesse de ser a voz de um povo oprimido. Povo este que agora sofre pela periferia e que tal e qual aos que viveram os anos de chumbo, está sem voz, amordaçado pela indiferença de uma sociedade.

 

É muito bonito e louvável levar a arte aos menos favorecidos, criando projetos, oficinas, apresentando um mundo cheio de esperança que o teatro é capaz de mostrar. Não deixa de ser uma grande bandeira, esta de incluir os excluídos através da arte do Teatro, mesmo que seja em doses homeopáticas. Quantos já não tiveram suas vidas transformadas pelo Teatro? Mas, podia ser muito mais.

 

Pena que tudo isso é levado por poucos, loucos que sabem da força transformadora que o Teatro possui. Mas não basta diante do abismo que separa os que sonham, dos que não tem nem este direito. Quem sabe não seja a hora de levar aos palcos um pouco dessas histórias que não podem ser ouvidas? Fazer ecoar nos palcos o grito de igualdade pode ser o caminho par encurtar a distância para a verdadeira justiça social.

 

O Teatro precisa participar desta revolução, pois tal e qual a censura que calou milhares de vozes, a injustiça social também tem um efeito devastador, pois distancia cada vez mais, emudecendo a voz de quem não tem para quem gritar. Levantar o problema, discutir a situação, questionar as políticas, repercutir, tudo isso é função do Teatro, por isso, quanto mais espetáculos desnudando este quadro, forem montados, mais alto a voz dos excluídos será ouvida.

 

Já passou da hora de sacudir a cena do país, revirando as entranhas e jogando na cara destes que dizem não se importar com tal situação, que enquanto o abismo for imenso, jamais se viverá em paz. O Teatro é mais que diversão, o Teatro pode ser a verdadeira revolução.

Deixe seu comentário


Código de segurança
Atualizar