Nem toda idéia vira texto

É muito comum encontrarmos por aí entre aqueles que querem escrever para teatro, a impressão simplista de que basta uma idéia na cabeça para ter o melhor texto do planeta. Como escrever fosse racional, matemático e exato. Não basta seguir o manual, devemos nos apoiar nele, pois nem toda idéia vira texto. Difícil? Se o caminho das pedras fosse fácil, não haveria tantas pedras no caminho. Mas, vamos ao que interessa.

 

Digamos que a sua idéia seja realmente algo que valha a pena ser contada através de uma peça de teatro, para isso, precisaremos do elemento que moverá a sua idéia e, consequentemente, a sua história: o conflito. Se a sua idéia não gera um conflito, esqueça a peça de teatro. Teatro é a arte da ação e toda ação provoca outra reação e para uma ação reagir à outra, precisa-se de um conflito e não uma simples idéia.

 

Justamente por achar que uma simples idéia basta para se ter uma história é que muitos emperram no meio do processo, ou até mesmo concluem seus textos, mas não fazem dramaturgia, e sim, narrativa contista. Escrever para teatro vai muito além de uma simples idéia, pois tem que ser contado no tempo presente e tem de desaguar numa resolução para o dilema que tal história nos contou.

 

A idéia é apenas o ponto inicial de um processo longo e árduo. É um trabalho que vai demandar horas e horas até seu ponto final e, que muitas vezes, ou melhor, na maioria das vezes, nem é seu ponto final, pois sobre a nossa história ainda pairará a visão do diretor que montará o espetáculo e do ator que o interpretará. A impressão pode até ser simplista, mas a forma de fazer é por demais, complicada.

 

Penso que cada idéia deva servir de exercício para quem quer se iniciar na arte da dramaturgia, pois nada é novo, mas há de se ter a novidade, é o chamado: “fazer o mais do mesmo”. Por isso, mas do que se preocupar em colocar a sua idéia no papel, se preocupe primeiro em conhecer todas as técnicas e teorias de como conceber a chamada “carpintaria teatral”. Busque na sua idéia o que causa o conflito, aí sim se pode começar a pensar em escrever.  

 

O processo de escrever um texto para teatro é interminável e inesgotável, pois é através dele que se leva aos palcos, a vida em pequenas pílulas, contada em diálogos, mostrando os dramas, as emoções e as celeumas do Ser humano e a arte de transformar cada uma dessas histórias em um texto para teatral, jamais pode advir da impressão simplista de que basta uma idéia para se ter o melhor texto do planeta.

 

Escrever se aprende todo dia, praticando, observando comportamentos, situações e conflitos do cotidiano da vida de cada um. Na maioria das vezes, um simples fato corriqueiro ocorrido diante de nossos olhos, se transforma num texto que uma idéia jamais conseguiria imaginar. Idéia pode ser o início, ou fim de um texto, nunca o texto.

Deixe seu comentário


Código de segurança
Atualizar