A Arte da Espera

Como diz o ditado: “o apressado come cru e quente”. Mas, como controlar a ansiedade que ronda a vida do artista, principalmente quando essa espera é por uma tão sonhada e aguardada chance? É difícil, não é mesmo? Suportar a espera para ter o reconhecimento de tanto esforço e dedicação, seja como ator, diretor, dramaturgo, músico, bailarino, e tantos outros artista, realmente é uma arte.

E, parece que quanto maior a ansiedade, maior parece ser o tempo da espera pela chance ou pelo reconhecimento. Os dias estressantes de ensaios, a pré-produção, a estréia que não chega, a reação do público, tudo vira um turbilhão que sacode a vida do artista de uma tal maneira, que ás vezes fica difícil de controlar.

Quando se é jovem, onde se tem urgência de tudo, parece que não vai chegar nunca a tal chance. São oportunidades que pintam, e que muitas vezes são perdidas pela ansiedade, e a espera que parecia ter chegado ao fim, se afasta de novo. E quando já não se é tão jovem assim? A espera é quase uma eternidade.

Como você se sente, depois de investir anos de estudo, esforço, dedicação em busca de um lugar ao sol, e se ver pronto para ter seu trabalho reconhecido após aguardar quase que impacientemente por uma chance, ver assim, sem mais nem menos, cair de pára-quedas, naquela vaga que você tinha certeza que estava pronta para ser sua, uma dessas celebridades instantâneas preocupadas apenas com a fama? Frustrante, não é mesmo?

Então, diante desta situação, tentando ser racional, você se põe em frente ao espelho e diz: “Calma! No fim, tudo dá certo, se não deu certo é porque não chegou ao fim”. Uma ova! O que eu faço com a minha espera? Do que me serve tantos anos de dedicação? Não é fácil a arte da espera.

Poderia descrever aqui mil e uma palavras de incentivo, de otimismo, daquelas do tipo auto-ajuda. Mas, sou incapaz, pois essa ansiedade que é causada pela espera da tão sonhada chance e do reconhecimento, também ronda a minha vida, e não é nada fácil ver gente tão capaz quanto nós, fazendo sucesso, enquanto permanecemos aqui tendo que esperar pacientemente pela nossa vez.

É certo que uns têm mais sorte que outros, pois são as pessoas certas, em momentos certos, e nos lugares certos e, portanto, são premiadas com o reconhecimento de seu trabalho sem ter que suportar tanta espera.

Mas, a alma de artista fala mais alto e é ela que funciona como uma espécia de antídoto contra a ansiedade da espera, e nos faz continuar se aplicando, estudando, levando a nossa arte até onde os nossos sonhos conseguem alcançar.

Quanto à vocês, eu não sei, mas posso afirmar que tem sido uma arte ter que conviver com essa minha espera.

Deixe seu comentário


Código de segurança
Atualizar