Projeto Teatro-Escola pode ser o caminho

Muito se discute a freqüência do público em apresentações teatrais, mas quais são os motivos que fazem o público que freqüenta teatro ser tão pequeno? São muitos, e não cabe enumerá-los aqui, pois, além de ocupar todo esse meu espaço, entraria em um assunto que prefiro deixar para uma outra hora.

Bem, como falei, os motivos não vêm ao caso agora, tratemos pois, de encontrar meios para mudar esse quadro, e acho que o Projeto Teatro-Escola vem bem ao encontro do que quero falar. Essa parceria Teatro-Escola pode ser um caminho.

Muitas escolas já perceberam o quanto o Teatro é importante e como ele pode ser usado como um instrumento de apoio e até complementar do conteúdo pedagógico. Algumas escolas, atentas a isso, incentivam seus alunos a irem ao Teatro e outras vão mais além, levam espetáculos de teatro à escola ou ainda, vão junto com seus alunos ao Teatro, fazendo um intercâmbio muito interessante, e que pode fortalecer a freqüência do público em apresentações teatrais.

O Projeto Teatro-Escola aparece nesse cenário nebuloso em que vive o Teatro e onde a freqüência do público é ínfima, como uma das soluções, pelo menos no meu ponto de vista, pois, além de se mostrar rentável, cumpri o papel de formar o espectador do futuro, porque levar um público que não foi criado com o hábito de ir ao Teatro a assistir espetáculos é um trabalho lento, mas que deve ser contínuo e de muita insistência.

Acho que não deve se desprezar esse filão, precisa-se sim, de mais espetáculos engajados no Projeto Teatro-Escola, pois é certo que, se a escola se encarrega de levar o filho, o pai, com certeza, deixará seu filho ir.

Mas, como explorar esse filão? No meu ponto de vista, deve-se pensar o Teatro Infantil da mesma maneira em que se pensa o Teatro para os adultos. Por que só os espetáculos para adultos são bem cuidados, bem ensaiados, e tem a aplicação da interpretação pelos atores? Criança também é espectador. E, seguindo a minha linha de raciocínio, se os espetáculos infantis forem bem cuidados e respeitarem a criança a ponto de cativá-la, cumprirá ainda, a parte de formação do espectador do futuro.

Os problemas da baixa freqüência do público em apresentações teatrais, podem ser muios, mas há de se buscar maneiras de se fazer teatro onde se possa ter rentabilidade e público. Por que pensar só em produções para o público adulto? Se nós, adultos, não fomos criados com o hábito de irmos ao Teatro, o azar é nosso!

O Projeto Teatro-Escola através de espetáculos infantis tratados de uma maneira mais profissional, realmente pode ser o caminho, de uma longa estrada que se tem para seguir, em busca da fidelidade de um público que vá ao Teatro pela grandeza de sua importância, e não apenas como um passeio que se faz antes ou depois da pizza.

Deixe seu comentário


Código de segurança
Atualizar