Ópera Garnier - O espírito de Paris

Palais-Garnier-interior-atr-Paris
 

A Ópera Garnier, ou Palais Garnier, é uma casa de ópera projetada pelo Arquiteto Charles Garnier (1825-1898), que venceu o concurso público em 1861 realizado para escolher que seria o arquiteto. A construção, liderada pelo Barão Georges-Eugène Haussmann, começou em 1861, e enfrentou vários contratempos e paralizações devido à muitos incidentes, como a Guerra Franco-Prussiana e a Comuna de Paris.

Outro problema também enfrentando pelos construtores foi o terreno: extremamante pantanoso. E devido à essa enorme presença de água no subterrâneo, foram obrigados a construir no subsolo um enorme reservatório de água, com muitas galerias subterrâneas.

 

Palco da ÓperaApós mais de dez anos de obras, o Palácio Garnier foi finalmente inaugurado em 15 de janeiro de 1875, em cuja ocasião foi apresentada a ópera A Judia de Fromental Halévy, bem como alguns trechos de Os Huguenotes.

O enorme edifício possui uma área total de 11.000m2 e o gigantesco palco consegue acomodar mais de 450 artistas ao mesmo tempo. Nos detalhes arquitetônicos, pode-se apreciar muitas estatuas e luxuosos ornamentos (dentro e fora).

O Palais Garnier e o Fantasma da Ópera 

Gaston LerouxEntão quer dizer a história do Fantasma da Ópera é real? Em partes. Primeiro é preciso entender o que é O Fantasma da Ópera, pois muitas pessoas hoje em dia associam a obra à Andrew Lloyd Webber, que o produziu na Broadway e definitivamente imortalizou a obra.

Mas a história original (não muito diferente do musical) é de autoria do francês Gaston Leroux. Que escreveu o romance gótico de mesmo título (Le Fantôme de l'Opéra). O cenário dessa obra (assim como o músical de Webber) nada mais é do que o próprio Palais Garnier (Ópera de Paris).Subsolo secreto da Ópera

É agora que começa a confusão: Baseado em fatos reais ou pura ficção que se passa num "lugar real"? Dizem que toda mentira tem um fundo de verdade, e a obra de Leroux não é exceção. O autor resolveu escrever o obra após visitara Ópera e conhecer partes do famoso lago subterrâneo (aquele construído como reservatório para regular o terreno). Ele também se perdeu pelas inúmeras portas, e corredores. Mas o fato que mais o inspirou foi o incidente com o gigantesco lustre do teatro (quem conhece a obra sabe que esse incidente é praticamente um símbolo). Pois bem, esse incidente realmente aconteceu, o lustre despencou do teto. Histórias de assombraçoes começaram a correr pelos corredores do teatro através dos funcionários. Estava aí a inspiração para Leroux produzir a genial e comovente obra eterna.

Deixe seu comentário


Código de segurança
Atualizar